Domingo, 07 de Novembro de 2010

    

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia,

 

No entanto,

Os pensamentos

Não aderem

Ao império do mármore:

 

A bem da verdade,

São vulcânicos desertos

Do Saara e do Mojave!

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia:

 

 

 

 

Penso nos entes

De antártico

Coração transformando

Mares majestosos

De candura e crisálida

Em infinitas úlceras multiplicadas

Cuja missão é criar bactérias

Quais sepulcralizam a alma.

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia:

 

Não obstante

A brisa malina,

Os condôminos de rua

Deitam ---

Prematuramente ---

Na sepultura

Ao se tornarem

Almoço ou janta

Da nossa venerável

Sociedade fraternal,

Nobre, magnânima, humana!

 

 

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia:

 

A tristeza gélida

Empedra a lareira

Dos solares sentimentos,

Matando os sonhos

E seus rebentos.

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia:

 

Nada perto ou equidistante...

Nada ao longe...

Nada aquém...

Nada além

De hipotérmicos,

Decrépitos

E esqueléticos

Horizontes!

JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA

 

 

 


sinto-me: UMA ILHA DE VERSOS MENORES

publicado por liramenor às 12:49
UM MOSTRUÁRIO DA PRODUÇÃO POÉTICA DO BAIANO JESSÉ BARBOSA DEOLIVEIRA ATENÇÃO: TODOS OS POEMAS FORAM REGISTRADOS PELA BIBLIOTECA NACIONAL, SITUADA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E SE ENCONTRAM SOB A PROTEÇÃO DA LEI DOS DIREITOS AUTORAIS N° 9.610
mais sobre mim
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


arquivos
2011

2010

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO